Uma breve história sobre o cabelo Afro, através da fotografia.

A artista e fotografa Nakeya B desenvolveu uma performance fotográfica chamada “Hair-Stories”. Que conta uma curta história do cabelo Afro através da fotografia. A proposta de Nakeya B com a intervenção é invocar a memória de cada mulher negra e relacionar a cada momento histórico vivido por elas, proporcionando um instante íntimo e pessoal de cada mulher, e a sua relação com o cabelo. Atentando-se especialmente o contexto social, e assim a artista busca desconstruir a autoestima através do olhar heteronormativo[1], logo utiliza a sua arte para explorar a relação de feminilidade desconstruídas dos padrões de beleza ocidental.

Em sua declaração artista para o site  superselected , Nakeya B. fala sobre emprega na fotografia e performance de sua arte.

” Minhas fotografias examina a multiplicidade de cabelo Afro- americano, apresentando-se em vários estados trançado, tecido, alongado ou natural. Sou intrigada com a sua capacidade para comunicar mensagens duplas sobre o relacionamento de uma mulher para si mesma e para a sociedade em geral. Muitas vezes empregam a figura feminina e objetos femininos para tornar-se  representações da feminilidade negra e explorar a linguagem de mudança sobre a beleza. Através de memórias passadas e observações pessoais, eu uso a fotografia para observar a noção racializada[2] de forma beleza auto percepção de um contexto feminino. ”

HotCombDayswebShowerCapv2webRollersAtNightwebBrown_Nakeya_12_6_667
TheArtofSealingEndsv2_400
SealingEnds_Pt_II_400

Nakeya Brown nasceu em Santa Maria, Califórnia, em 1988. Recebeu seu Bacharel em Artes Visuais e Jornalismo e Estudos de Mídia da Universidade Rutgers. Seu trabalho tem sido exibido no Museu de Arte McKenna.

Veja  outros trabalhos da Nakeya em : www.nakeyab.com


[1] Heteronormativo: Que estabelece como norma a heterossexualidade e a instituição de categorias distintas, rígidas e complementares de masculino e feminino ou que é relativo a heteronormatividade. – fonte Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.

[2] Racializada:
O termo racialização surgiu na década de sessenta do século XX para exprimir o processo social, político e religioso a partir do qual certas camadas da população de etnia diferente eram identificadas em relação à maioria da população, tendo em conta que esta identificação estava diretamente associada ao seu aspeto, características fenotípicas ou à sua cultura étnica. –  Fonte: infopedia.pt

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s